quinta-feira, abril 05, 2012

A HORA ZERO DE DIMITRIS CHRISTOULAS

Nota de suicídio de Dimitris Christoulas que decidiu terminar a sua vida na Praça Syntagma, diante do Parlamento Grego [tradução minha]: «O Governo Tsolakoglou aniquilou todas as possibilidades à minha sobrevivência a qual estava assente numa pensão muito dignificante que paguei sozinho ao longo de 35 anos e sem qualquer ajuda do Estado. E uma vez que a minha idade avançada não me permite um modo dinâmico de reacção (ainda que se acontecera a um meu concidadão Grego pegar numa Kakashnikov eu estaria a seu lado), não vejo nenhuma outra solução senão este modo digno de terminar a minha vida a fim de me não encontrar a pescar por entre o lixo as latas do meu sustento. Acredito que os jovens sem futuro um dia pegarão em armas para enforcarem os traidores deste País na praça Syntagma, tal como os italianos fizeram a Mussolini em 1945.»

4 comentários:

Anónimo disse...

se a imprensa tivesse coragem para denunciar os excessos que a elite financeira tenha sujeitado os paises, com certeza que não tinhamos chegado ao estado actual. Por exemplo, as politicas de desertificar o sector industrial europeia a favor de outras pastagens mais lucrativas onde só beneficiam as grandes multinacionais em detrimento dos postos de trabalhos; o descontrolo do credito ao consumo, onde os trabalhadores passaram a ser apenas consumidores desenfreados, onde endividam-se na compra de ipad (que apenas beneficia a Maça e a China), ferias a credito, etc. e quando veio o desemprego, os consumidores ficaram sem possibilidades de saldarem as suas dividas. Os politicos não tiveram culpa nesse sistema que apenas privilegia o consumo de produtos importados?

Roger disse...

Fiz um post em meu blog com considerações sobre o por quê acho emblemático o seu suicídio. Deixo o link para os interessados: http://umhistoriador.wordpress.com/2012/04/05/o-emblematico-suicidio-de-dimitris-christoulas-na-grecia/

bibónorte disse...

Não sei o que faz a autor deste blog. Sei que é excecional na sua escrita e chama os bois pelos nomes.
Obrigada por este texto.Fiquei muito sensibilizada.E sabe uma coisa? Acho que os portuguesesnão são bons alunos, andam é cagados de medo!

floribundus disse...

por cá deviam fazer um velório em frente da cas do pinóquio