segunda-feira, abril 02, 2012

IMUNDÍCIE PLURICÓRNIA

Esta besta continua apostada em elevar aos altares o seu Ladrão completamente fulminado de casos, de podres, de um rasto devastador e malcheirento. Chama «conspiração para escutar um primeiro-ministro» àquilo a que toda a gente chama detecção de um criminoso em flagrante abuso, conspirando para perpetrar actos ilícitos, manobras criminosas, contra o Estado de Direito, exorbitando directamente os seus deveres. O que Noronha diz vale zero e é dito por um Zero. A Justiça foi politizada, portanto, serve todos os desígnios, menos o da própria Justiça e menos ainda o da verdade inconveniente do praticam essas bestas que a besta valupiana prostrada defende. Essa besta, que habitualmente me chama maluco, está louca. Maniqueu político, vagina da opinião facciosa e malfeitora, não vê oligarquia na roubalheira política socratesiana porque fez parte dela. Só vê roubalheira, que a houve e grossa, no BPN: para essa besta, um Crime compensa o outro Crime, na grande competição PS/PSD em praticar o interminável roubo de igreja a Portugal. Essa besta corporiza a legião de pulhas e cínicos que domina o comentário oficial correcto e os partidos cúmplices numa operação relha e velha na pseudodemocracia portuguesa: roubar, endividar, lesar Portugal, esmagar os contribuintes portugueses e ficar a rir, tecendo grandes peças de retórica cretina a apontar para os outros. A politização da Justiça e a judicialização da política funcionavam só na direcção que interessava à clique da Mentira, hoje aflita em Paris e fantasmagoricamente pairando nalgumas salas de tribunal. Como é que essa besta chama "vítima" a Sócrates e ainda não sabe que está louca?!

Sem comentários: