sábado, novembro 10, 2012

RAMBO RAQUEL VARELA, A ESQUERDA INDIGNÁVEL

Jonet promove Raquel Varela a nova Madre Teresa Calcutá Chique
da Esquerda Gastrónoma e Indignável.
Nunca será demais insistir neste ponto: gente como o espumante Sérgio Lavos ou a rancorosa Raquel Varela não parece mexer uma palha pelos pobres e desapossados da sorte, não sabe tampouco o que isso seja porque lhe não veste nem a pele nem a proximidade. As Isabel Moreira, os Galamba, os Lavos, os pindéricos, os chiques, bem-pensantes, é tudo pessoal frequentador de bifes, bifanas, requintes gastronómicos de Gambrinus para cima. Que acção assistencial se pode esperar dessa Esquerda Gastrónoma?! Estou para sentir na pele uma acção cívica de Esquerda contra a fome, numa espécie de duelo com o Banco Alimentar. Não. Indignam-se. Escrevem cartas. Fazem teses. Queimam em público a efigie de qualquer desalinhado do pensamento único, que é o seu: «O mínimo que se pode dizer da carta de Raquel Varela é que ela revela que a autora é uma besta. As afirmações são completamente desproporcionadas, insultuosas e revelam bem a mania que este tipo de cretinos tem de colocar intenções nas palavras dos outros, ao ponto de acharem que sabem o que os outros pensam. Este tipo de tom acusatório é tão típico da extrema esquerda que são lendários os julgamentos fantoche realizados nos países sob as garras de gente assim.» Groink

4 comentários:

José Domingos disse...

A esquerda só funciona com dinheiro dos outros. Portugal está desde o 25, colonizado pela esquerdalha. O resultado está á vista.

Anónimo disse...

Meu caro,

Não falem da Raquel Varela, pois ESTARÃO A FAZER O JOGO DELA!
Conheço-a há 15 anos e sei que o que ela mais procura na vida é protagonismo.
Em 1998, meia dúzia de velhinhos mandaram rezar, na Sé Velha de Coimbra, uma Missa por alma de Salazar. Como todos os dias acontece pelo País fora em milhares de Igrejas.
Contudo, gerou-se um tumulto violento por parte de manifestantes que queriam impedir a Missa, o que levou a intervenção policial.
Entre os manifestantes, tentando impedir a liberdade de culto religioso e fazendo as mais tristes figuras, incluindo berrar histericamente e atirar-se ao chão, estava Raquel Varela.
Foi o início da sua carreira mediática, pois a cena foi transmitida pela TV.
Toda a vida da menina tem sido tentar promover-se com este tipo de expedientes.
Falarem dela é o que ela quer.
Não mordam a isca.

Eduardo de Brito Castela disse...

Caros,

e assim tem ela dado nos vistas;

http://ihc.fcsh.unl.pt/pt/ihc/investigadores/item/1242-rcvarela

cumprimentos

Anónimo disse...

Supostamente, o endereço de correio eletrónico disponibilizado em cima,destina-se a contactar o santo, ou apóstolo, ou lá que categoria tem, que proferiu aqueles dizeres do cabeçalho. Que tal escrever-lhe para o auscultar sobre o tema "não caluniarás a teu próximo ..."?