sábado, julho 06, 2013

PORMENOR PORTAS E IMBECIS ELEITORAIS

Público
Portas de novo no Governo é um pormenor. Mais perigoso é a sanha impaciente de muitos e muitas por eleições, indiferentes ao facto de, com elas, se somar à crise política uma crise de confiança que faria disparar os juros e afundar a bolsa, numa intolerável e comprometedora turbulência. O melhor que nos poderia acontecer é, portanto, a sensata recomposição e robustecimento do Governo para que, até Junho de 2014, no estrito plano político, Portugal se deixe de tremuras e derivas suicidárias que incinerariam tudo o resto. Para que o País se salve. Perante uma dívida superior àquela aquando da falência em 1892, só temos mesmo a opção de, nos próximos anos, produzirmos mais do que consumimos, perdermos completamente as veleidades despesistas e distributivas em que 15 anos de socialismo laboraram. De resto, o terror de muitos e muitas pela manutenção da dupla Passos/Portas só poderia dar lugar a um terror ainda mais pronunciado: uma putativa dupla Seguro/Portas, caso Seguro não aparecesse com as Esquerdas e o Fim do Mundo ao colo ou coisa pior. Portanto, bem-vindos ao Governo Passos Coelho II.

Sem comentários: