sexta-feira, julho 19, 2013

SE ALGUÉM CALAR, ATÉ AS PEDRAS GRITAM

«A voragem e a vertigem do poder do PS é tão grande e tão necessária para prosseguir os ruinosos negócios de estado que levaram o país à falência e ao pedido de assistência, que até repugna. A fome desenfreada quase hardcore do partido socialista e deste protagonista, que mais não é que uma canino mandante íntimo de Sócrates, é absolutamente nojenta. Para estes paus mandados de Sócrates, é preciso sacar o poder a qualquer custo e até o PR acenou inconstitucionalmente com um prazo de eleições ao novel e infante secretário geral porque o menino quer eleições. Logo os vampiros Sócrates e Silva Pereira com a cáfila do costume atrás se precipitam em intervenções sedentos de poder e desejo de voltar à magistratura mais corrupta desde o 25 de Abril e que nos levou à miséria.» Isabel Steinlesser

2 comentários:

Pedro Leite Ribeiro disse...

O PS vive à custa do Estado, logo, qualquer corte no OE significa um corte no orçamento do PS. Somos nós que sustentamos essa corja e com isso nos arruinámos.

Anónimo disse...

Os partidos "vivem à custa do Estado".