sábado, julho 13, 2013

SEM REGIME, NÃO HÁ PARTIDOS

Ricardo Costa, que não suporta as tretas álacres do Pedro Marques Lopes nem ser interrompido, por vezes tem olho. No Expresso deixa a entender que Cavaco está certo no concitamento a um “compromisso de salvação nacional”. O PS deve aquiescer: “(…) um acordo com um horizonte temporal de um ano não oferece qualquer perigo estrutural.” Que se lixe o facto de que o processo “não deixa de abrir uma porta ao processo de indiferenciação de PSD, PS e CDS, o que pode ser perigoso para a nossa democracia”, perante o perigo eminente de implosão do Regime ele-mesmo e de rejeição dos partidos como um todo.

1 comentário:

José Domingos disse...

A maioria dos culpados do estado a que Portugal chegou, estão no conselho de estado, os outros estão nas tv´s todos os dias, não têm vergonha, tratam da vidinha deles e das reformas.
Imbecis que nem sabem o que não sabem.