quarta-feira, julho 03, 2013

À ESPERA DE NUNO MELO

Depois de uma vida inteira a votar PSD, tenho votado CDS-PP desde 2009, altura em que enfraquecer o desastroso chavismo sufocante do Partido Socialista norte-coreano teria de passar pelo fortalecimento dos partidos minoritários à Esquerda e à Direita para forçar compromissos e um escrutínio apertado do exercício, até aí arbitrário, corrupto e caprichoso, da decisão governamental. Com a inesperada demissão de ontem, Portas, claro, deixa-me absolutamente desiludido e revoltado, embora compreenda que se tenha sentido vexado inúmeras vezes pela impermeabilidade do gasparismo extremo em Passos Coelho. Portas é excepcionalmente inteligente, o que pode ser bom para jogos de Xadrez, mas é péssimo para a paciência e o pragmatismo que a situação do País em absoluto exigia e exige. Também me desiludiu quando manhosamente exilou Nuno Melo para o Parlamento Europeu, em 2009, se não erro, após brilhantes desempenhos na Assembleia da República que talvez lhe fizessem sombra. Hoje, é precisamente em Nuno Melo que ponho a minha esperança de que o País pare de resvalar para a negrura e para o nada, após tão penosos e prolongados sacrifícios. Dois anos em vão?! Há congresso CDS-PP, este fim-de-semana. Pois então que avance. Já e em força.

4 comentários:

Anónimo disse...

É Paulo Portas já preparando o enxoval com o PS, que sem qualquer dimensão de homem de estado, cria este problema. Paulo Portas sabe perfeitamente que até podia ser o Rato Mickey o ministro das finanças que a austeridade está para muito tempo. Não desculpabilize o acto politicamente criminoso de Paulo Portas. Não foi Pedro Passos Coelho que mandou tudo para o lixo, foi Portas e o seus ministros amestrados e sem qualquer honra ou preocupação com o país, verdadeiros cobardes políticos que entraram em pânico com a obrigação de terem de apresentar o plano da reforma do estado. Pois queriam o caos eis o caos. O PP ficará para sempre ligado à ruína do país depois da bancarrota de Sócrates, o que fizeram foi politicamente repugnante.

Groink disse...

Podíamos muito bem ser "parentes". Não é que Nuno Melo seria a minha aposta para líder do CDS? Não é que eu tenho exactamente a mesma opinião. A única diferença é que enquanto um compreende a posição limite de Portas eu acho que em certas alturas o país fala mais alto. Mas isso é apenas a discordância na concordância.
esperemos que o CDS encontre alguém com sentido do dever (já é dever, nem é sentido e pose de estado).

Joaquim Carlos disse...

Espero que sim, caríssimo. Penso que a coligação vai manter-se de pé, o que, para efeitos de 8.ª avaliação e da recolha dos bons frutos do ajustamento [já patentes no comportamento da receita fiscal, em todos os planos, e do emprego que parece começar a reagir] chegará para a maratona do próximo orçamento e os seus desafios.

O que o PS quer é ebulição, sangue e terra queimada. Veremos. Mas se formos para eleições, a minha luta é por que esse PS seja confrontado com a sua vontade de engonhar o programa de ajustamento.

José Domingos disse...

Paulo Portas, é um situacionista, quer saber de si próprio e da sua vaidade.
A força do CDS, para ele chega, dá para aparecer nos merdia, entrvistado por "jornalistas" analfabetos e moços de recados.
Madou para fora, quem lhe podia fazer frente. Acredito em Nuno Melo, é um senhor comparado ao Portas. Depois de ter vindo de Inglaterra, mais o outro imbecil, veio fazer o que lhe mandaram.
Dá para rir, quando se diz de direita.