quarta-feira, julho 03, 2013

O HOMEM A QUEM ROUBARAM O ORGASMO

Pacheco é um ressabiado que nunca produziu uma ideia de esperança ou uma saída fosse para o que fosse, dentro ou fora do PSD. Os seus diagnósticos são muitíssimo mais trágicos que qualquer realidade má porque nunca abrem qualquer janela de esperança e nunca consentem o benefício da dúvida aos alvos da sua rejeição. Ouvir Pacheco é consentir num tédio infinito, num labirinto infinito, na impossibilidade de um orgasmo, no despropósito de um bom vinho. Quem, como ele, olha para a política e destila vinagre, para que raio olha para a política?!

1 comentário:

Anónimo disse...

é assim um paralelo como as tuas crónicas, sou que neste caso o pacheco acerta e tu não.