quinta-feira, novembro 28, 2013

A GERAÇÃO PRESERVATIVO

Tem sempre uma última palavra a dizer definitiva, egoísta e imutável: ou nós ou nós. As coisas são o que são e têm de continuar a ser o que são, ainda que não haja nem um cêntimo para os actuais quarentões para quando e se puderem reformar-se. Não admira que já quase não se façam crianças em Portugal.

Sem comentários: