sexta-feira, junho 29, 2012

TANTA MERDA E TANTO SAQUE

Lição de mariquices politiqueiras, defesa do gangue, 
e ventriloquismo servil.
l
Se houvesse Justiça, o clepto Ricardo Rodrigues dos gravadores de São Bento não seria o primeiro a apanhar na armação galhosa. Se existisse Justiça em Portugal, comeriam também, e pela medida grande, quer Vítor Constâncio quer Teixeira dos Santos, juntando-se a Oliveira e Costa e Dias Loureiro, indecentemente apadrinhados por Cavaco. Guterres também tem culpas e deve explicações às gerações de vítimas sob anos de desgovernança PS. Mas quem não escaparia a um mínimo de Justiça, por mais que abrisse o horroroso esgar, seria Paulo-Cara-de-Cu Campos com os 700 milhões das PPP negociados nas costas do TC. Nem a prevaricadora Lurdes-Foda-se Rodrigues: não se admite a festa dos 500 milhões em obras e sobretudo a megatonelagem de más práticas na Parque Chular, enquanto oprimia, humilhava e menoscabava professores. Chegados aqui, porém, quem urge dê com os ossos nos tribunais é sobretudo o Filho da Puta, supra-sumo do crime sob a capa protectora e imunitária da política, sumo mentiroso, supremo manipulador e charlatão, alguém que controlou a Opinião Pública graças a opiniões avençadas de amigos e graças a muito broche dos valupis que ainda hoje sintomaticamente escondem os cornos da Luz: qualquer leitor de jornais sabe dos 300 milhões, ou mais, muito mais, devidamente colocados em offshores de primos, tios e amigos, fora o que tenha recebido nos envelopes castanhos dos ingleses. Mas a socialistas nunca acontece tribunal e cadeia. Mesmo o caso de Clepto Rodrigues é migalha num oceano de rodriguinhos justiciários e justiciárias negaças. Mesmo hoje os outrora ferozes pretorianos do Filho da Puta, de tanta merda e tanto saque, Santos Silva, Pedro Silva Pereira ou Vieira da Silva, aparecem mansos, humanos e compungidos com o que vamos sofrendo às mãos insaciáveis do Governo Passos. Cínicos do caralho! Não é por acaso que o DIAP de Lisboa parece investigar as despesas colossais feitas pelos Governos do Filho da Puta, após queixa da Associação Sindical dos Juízes Portugueses, nem é por acaso que Carlos Barbosa, em nome do ACP, entregou uma participação criminal contra Mário Lino e António Mendonça. É um pequeno sinal de que a omertà, o favorecimento e a amizade mafiosa socialistas ainda têm quem lhes resista e diga «não!». Acontece que o Ministério Público não costuma despachar as investigações porque o conceito de máxima celeridade não existe nem se aplica no que toca a socialistas indiciados ou indiciáveis. Portanto, continuemos sentados a causticar-lhes as nádegas, esfuracando-as com opinião e denúncia.

2 comentários:

Anónimo disse...

Subscrevo inteiramente. Apesar da linguagem colorida e viva, o seu cerne é de inegável verdade. Aponta de maneira certeira para a velhacaria "socialista" e seus homens de mão ou de boca, como o tal valupi que não sei quem seja mas que setá um bom pulha.

J.Cortês Mendonça

José Pires disse...

PARA QUEM PAGAMOS NÓS OS IMPOSTOS ???
Perdoam-se luvas e pagam com os nossos impostos a ladrões ; ‘ (
DEIXO UM POEMA DE ANA WIESENBERGER E UM VÍDEO PARA MEDITAREM

http://jose-pires-um-ser-livre.blogspot.pt/2012/06/para-quem-pagamos-nos-os-impostos.html