domingo, junho 03, 2012

UMA SANHA MORIBUNDA

Ainda Miguel Relvas. Desvanece-se rapidamente a sanha que lhe imputa conspiração, negócios, influência política, Maçonaria, PSD: todas as insinuações saem goradas e todas implicações furadas, tomadas como irrelevantes, pelo menos no contraste com quem e o quê verdadeiramente rebentam com Portugal, caso nada se faça. Quem armou um tal reboliço para rasurar o Ministro do Governo Passos pode meter a viola no saco, que o assunto está a morrer a bom ritmo. Se, de acordo com Marcelo, Relvas se converteu num ministro moribundo, as guerras mediáticas do alecrim e da manjerona promovidas por alguns órgãos erráticos de comunicação rebaixam os seus promotores porque os denunciam enquanto escamoteadores de factos bem mais lesivos dos interesses nacionais e bem mais evidentes nos seus danos e responsáveis. Basta observar o que se privilegia numa primeira página.

1 comentário:

Anónimo disse...

Quem beneficiou?
Portas, claro!