quarta-feira, julho 04, 2012

MACABRO PORREIRO

Parece que as instituições funcionam, a Justiça corre os seus trâmites, tudo desliza oleado em Portugal, numa vigilância e num zelo à prova de fogo, certo?! Errado. Há os recursos eternos que mantêm Isaltino próximo do seu charuto ao ar livre, há as fraldas incontinentes de Valentim, no seu sossego provinciano. E agora salta Macário, mais um para a fogueira exemplar de que se isentam os mais espertos e com mais amigos. É que da última vez que reparei, violações a coisas como Plano Director Municipal e Plano Regional de Ordenamento do Território são vulgaríssimas, de norte a sul, mesmo sob o patrocínio dos Governos rançosos do passado com a sua visão estratégica para lado nenhum, a não ser a ruína. E pronto, com o exemplo de um, dormem sossegados os demais. O habitual, portanto. 

1 comentário:

Floribundus disse...

a 'coisa da mãe' do horta não é corpo de delito e Queirós não vai ser jugado.
não iremos ver o 'corpo do delito'