sábado, novembro 03, 2012

MANUELA FERREIRA LEITE, O EXCESSO DE ANTENA

A dra. Manuela Ferreira Leite, mais uma das retro-gerontovozes que não tem sossego mas tem um estranho excesso de antena, terá de decidir-se se, para reformar o Estado Português, pode fazer-se o que urge ou não. Sem arriscar suspender os mecanismos democráticos. Não há tempo para treta e anúncios de catástrofe: para reformar o Estado Português, no seu caos e na sua subversão tachista PS, não podemos esperar por uma suspensão da democracia, hipérbole ingenuamente usada pela dra. e depois subvertida e abusada pelos socratistas para efeitos de capitalização eleitoral do filho da puta de Paris, o que aliás resultou lindamente. Para reformar o Estado Português não se pode parar: não podemos acomodar novas eleições ou um improviso de Governo a contento do dr. Pacheco Pereira, a contento do dr. Mário Soares, alinhados com o Bloco de Perda e o má onda PCP, Pacheco e Soares, qual deles o mais inepto para a decisão, aptos apenas para a efabulação conspiracionista, rancorosa e negrejante.

4 comentários:

Daniel Santos disse...

Todos os dias falas de Sócrates. presumo que sejam saudades.

Joaquim Carlos disse...

Enganas-te. Todos os dias se silencia a pesadíssima herança Sócrates.

Daniel Santos disse...

herança de Sócrates? É verdade que é bastante pesada, mas achas mesmo que o caminho para a salvação do país é carregar mais em quem trabalha e deixar o resto à solta?

Joaquim Carlos disse...

Sabes bem que não é isso o que defendo, Daniel: é preciso aliviar o fardo de quem trabalha. Temos de pressioná-los, PS e PSD, a reformar o Estado e abandonar os seus interesses, tachos, instalados no Aparelho de Estado.