quarta-feira, outubro 23, 2013

SÓCRATES PAGA UM BALÚRDIO A LULA

Sócrates [ou a Fundação Maçónico-Chpupista Soares, ou ambos] pagou o frete discursivo e presencial de Lula, na apresentação do Livro que os valupis escreveram como se fossem Sócrates. Não há elogios grátis. Nem vaidades grátis. 

Estas coisas muito dadas a imposturas e a pronunciamentos ignorantes, falsos e hipócritas, manhosos e pedantes custam muito dinheiro. Situações que permitem a um ex-Presidente de um País Rico, como Lula, dizer umas coisas pouco fundamentadas que nenhum País ou Governo ousa praticar [taxar lucros da banca? Cortar bónus na Banca? Desprezar uma consolidação estrutural de uma economia, fraca ou forte?], custam sempre muito dinheiro. 

Quanto é que Lula custou à Fundação Chulares, às maquias em offshores do Inominável Energúmeno Burlão-Keynesiano? Qual o limite para se suportar tamanha sujidade impune?

3 comentários:

Anónimo disse...

Sócrates é, muitas vezes, de uma violência verbal pouco habitual em Portugal e, como ação gera reação, é perfeitamente natural que sobre ele também recaia violência semelhante e expressões de ódio. Por conseguinte apontar-se como culpa deste sentimento popular o facto de Sócrates ter levado o país à falência não é adequado, mas isso também não é razão para desculpabilizar o ex-primeiro-ministro de ter deixado o país na situação que bem conhecemos. Ao contrário dos seus antecessores realizou uma vaga de investimentos públicos desnecessários ou pelo menos não fundamentais, financiados em regime de PPP's, que implicam encargos elevadíssimos para o estado em que só no próximo ano serão pagos aproximadamente 770 mil milhões de euros, montante superior à despesa que o estado pretende poupar com o corte dos salários dos funcionários públicos (medida que gera ódio em direção à ministra Maria Luís e não a Sócrates).

Anónimo disse...

É simples. O muito berreiro que PS e PSD, fazem no parlamento, fazendo-se inimigos, eles são a face da mesma moeda.

Apesar do PS ter o Pedro Nuno Santos, a Ana Gomes, o Galamba, e outros verdadeiros socialistas, isto não chega, para serem uma alternativa, porque não são eles que estão no poder.
Quem está no poder, são os socratistas, os soaristas da gaveta, os Proenças, as Marias de Belém, os Vitorinos, os Vitalinos, os Veras Jardins... tudo gente de qualidade e origem duvidosa.

O Seguro, medroso, lá os colocou a todos na direção.
Tática ou estratégia? Mas com uma vitória daquelas nas autarquicas, ele tem medo de quê?
Do António Costa? Ele já demonstrou que é socratista, ou soarista, ou segurista, desde que lhe paguem em amizade, almoços, e não falem mal dele!

Mas o problema, de fundo, é serem sociedades secretas e outros grupos de poderosos não democráticos, quem realmente manda e financia o PS, PSD e também CDS (família oligarca BES, dos submarinos e outros).
Enquanto não se afrontar directamente esta gente, e dar nomes aos boys, estamos perdidos.
Esta gente domina também a comunicação social e as opiniões publicadas. O povo ouve e fica com medo deles, mesmo que ninguém esteja a ver onde colocam a cruzinha, porque o voto é secreto

Anónimo disse...

Ao que parece, Daniel Oliveira é mais um elemento mobilizado para a operação de desculpabilização socrática. Mas a gente não esquece e não vou aqui listar as tropelias, por falta de memória e de paciência, mas alguém o fará.

Só uma referência ao falso argumento de que todos os países periféricos faliram na época. É falso, só a Grécia nos acompanhou na corrupção, roubalheira e falência, A Irlanda sempre foi outro assunto.

Por último estou convencido de que o artigo está tão sujo e tão borrado, que não há operação de limpeza que lhes valha.
Cumprimentos ao Vara, ao BCP, ao Figo e aos amigos de Alcochete