terça-feira, janeiro 31, 2012

A PARQUE ESCOLAR ERA PARA MATAR DOIS COELHOS

Era bom que o Ministério da Educação percebesse, mais cedo que tarde, a bomba onerosa herdada da legislatura anterior. Assim como Sócrates criou a Parque Escolar para matar dois Coelhos  deslumbrar de sonho, luxo e sofisticação o olhar neorriquista e papalvo da populaça e encher os bolsos dos amigos construtores com o paraíso habitual das derrapagens , criou a avaliação para amordaçar, empobrecer e banalizar a docência. Até agora, de nada disso o Governo Passos e o consulado Crato se demarcou. Estava na hora de simultaneamente poupar pela certa 64,5 milhões de euros com a reavaliação dos projectos aprovados para as 69 escolas que a empresa pública Parque Escolar ainda tem em obras e poupar os professores às indefinições em decurso.

3 comentários:

Tiago Mouta disse...

65 milhões de euros num endividamento de 1000 milhões e ajustes directos sem fim... É uma gota de água num mar de derrapagens convenientes!

João Sousa disse...

A Parque Escolar pode ter sido criada para matar dois coelhos - mas parece cada vez mais evidente que também contribuiu para engordar um Coelho.

Miguel disse...

Joaquim não existiram derrapagens, não existiram concursos, não existiram orçamentos, não existiram contratos. O que existiu foi crime e má gestão dos dinheiros públicos. Repara que os contratos são posteriores à obra executada. Vou dar um exemplo: uma máquina que custe 250€/dia parada x dias, por uma razão da treta (não estou a dizer que aconteceu, só dou um exemplo hipotético!). Imagina que são 100, ora são 25.000€ por uma máquina que não tem desgaste, está parada e logo custo 0 para o empreiteiro (mas, enfim, o dinheiro que sai precisa de uma justificação qualquer para tapar olhos)! Imagina o resto... (hipoteticamente falando, claro)