segunda-feira, setembro 17, 2012

A EXCELENTE SAÚDE DA COVARDIA NACIONAL

Lá por este post ter sido removido, talvez, não quer dizer que não exista e não diga bem o que quis dizer: «Toda a gente aproveitou os 7% para abandonar o navio. Comentadores, políticos no activo ou no limbo, jornalistas (o excepcional Gomes Ferreira, essa espécie de albetoça que fareja os ventos de feição), autarcas etc. Isto recorda-me a história de Blanchot, que viveu toda a vida para morrer, porque em novo esteve encostado ao muro de uma quinta com os alemães a apontar. Ou seja, este governo só necessitava de uma oportunidade para ser abandonado. Em tempos avisei que não havia um escol intelectual que suportasse o que de bom este governo fosse fazer. Risadas boçais dos especialistas de comunicação e propaganda e dos prosélitos do último minuto, foi o que recebi. É pena, porque , por boas ou más razões (leia-se imposições externas), muitos defeitos podiam ter sido corrigidos: vícios laborais, política educativa, gastos sumptuosos do dinheiro público etc. Assim ficamos numa arena sem touro, só com cortesias.» Filipe Nunes Vicente

Sem comentários: