sexta-feira, setembro 21, 2012

GOVERNO RENASCE. A OPOSIÇÃO ESTÁ MORTA

Pedro Passos Coelho parece ter caído em si no sentido de se revincular, com verdade e assertividade, ao eleitorado e às pessoas que, como eu, foram para a rua apostrofar injustiças, aselhices, frieza. Não sei onde é que, desempregados ou mal pagos, vamos encontrar forças para nos sentirmos mobilizados, apesar dos elogios e encorajamento vindos do exterior. Pessoalmente, ainda estou à espera que Mário Soares me transfira cinco euros para comprar uns tomates e umas maçãs, e que Dias Loureiro avance um donativo para que eu possa comprar umas cebolas e uma sandálias novas, que as que uso envelheceram e cheiram mal por causa do material barato de que são feitas. Os grandes cevados nacionais, portanto, não exercem qualquer solidariedade para comigo. É pena. Enfim, Passos parece estar vivo, certamente sofre por Portugal e com os Portugueses [empatia e compaixão connosco são qualidades que elejo como cruciais num Primeiro-Ministro!], embora isso não tivesse passado lá muito nos últimos anúncios. A Oposição, infelizmente, é uma miséria. Há, de facto, deputados a mais para tanta retórica vazia e impostora: Louçã, Seguro, Jerónimo são figuras quixotescas sem aderência à coragem e ao realismo da Hora. Quem assista às sessões dinâmicas e vivas no Parlamento Britânico vê mais qualidade, construtividade e patriotismo que algum Seguro alguma vez parirá. 

2 comentários:

Zuruspa disse...

Ehpá, dá cá uma beca dessa cena que andas a fumar, parece que é boa!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

A oposição realmente está morta, mas a "ressurreição" do governo é apenas ilusão. São as melhoras antes da morte!