terça-feira, setembro 18, 2012

FRACO MOLUSCO SEGURO EM TEMPOS DE GUERRA

As lideranças políticas em Portugal não são lideranças políticas, uma vez que a desonestidade, a submissão a outros poderes que não o Povo, e a covardia contra as pessoas concretas lavra como um incêndio de Verão de uma ponta à outra do espectro. Ouvir António José Seguro em entrevistas ou declarações avulsas corresponde ao Zero da Esperança e à pantominice suprema como Oposição. Em poucos anos, vemo-nos perante duas formas distintas de loucura no PS: o ímpeto circense e a gula pelo Poder em Sócrates associadas directamente ao nosso Desastre Colectivo, mas um desastre ao retardador, deixado para trás como uma bomba hoje a explodir-nos na cara todos os dias; e agora a suavidade serena e violenta de Seguro que definitivamente não foi talhado para tempos de cortar à faca, como estes. A única virilidade segurista consiste em execrar explícita e implicitamente o trabalho devorista e a herança corrompida do seu antecessor. Basta observar-lhe a má consciência por causa das PPP. O Estado Português está tão em cacos que sequer chegar a Primeiro-Ministro deixou de ser desejável, a não ser para armar uma tenda de charlatão e passar seis anos a entrar-nos pelas TV a foder-nos com optimismo e com ideologia, enquanto por trás se fazem negócios que apenas condenam todas as nossas hipóteses de dignidade de vida. Seguro, para além do mais, não lidera um Partido com pessoas mais competentes, indispensáveis para endireitar o País: não se pode esperar de quem precisamente destruiu Portugal e o reduziu à Merda Que Se Vê a inversão do lixo e do dano produzidos. Só por escárnio isso é concebível. Mas é isto que perpassa a cabeça comunicacional e marketinguesca do pessoal socratista, convencidos de que, com um passe de spin, de controlo mediático, de alacridade intrujona poderão iludir a Opinião Pública de que culpa da bancarrota não é da gula, da vaidade e do autodeslumbramento vácuo do psicopata Sócrates. Toda a gente sabe disso. Crianças dizem-no a caminho da escola. Internados em hospitais psiquiátricos repetem-no um milhão de vezes por dia, mesmo devidamente medicados. Gente que não lê o Correio da Manhã tem ímpetos e queixas que recobrem com o estigma de latrocínio, incompetência e avidez todo o PS. Por causa de Sócrates. A ironia é que o Governo Passos invente uma TSU de que parece não poder nem querer recuar para cumprir escrupulosamente com os criminosos compromissos onerosos gizados pelos Governos Sócrates, especialmente as dezenas de PPP com cláusulas secretas, embusteiras, recobertas de silêncio, como de silêncio se recobrem os Bancos, as Consultoras e as Construtoras em cujas mãos está este e estão todos os Governos que se seguirem. Isto é assim: com TSU ou sem TSU, os portugueses estão fodidos: os Bancos que financiaram as PPP, as Consultoras que blindaram os contratos e as Construtoras que os cumprem ou cumprirão, não têm culpa de que o Estado Falido Português lhes deva milhares de milhões de euros e que, contumaz, mesmo à vista da desgraça, tenha negociado dezenas de PPP adicionais contra nós. Não há génio das finanças que possa fazer melhor que Gaspar. Seguro, agarrado a este pepino, cagar-se-ia todo de pânico. O pior é que não está agarrado e borra-se na mesma.

Sem comentários: