quarta-feira, setembro 26, 2012

PIGMEU PASSOS, MAIS UM NA LONGA LISTA

Cansaço do caralho vir algum filho da puta falar-nos da Direita Portuguesa ou da Esquerda Portuguesa quando tudo tem sido devastação, negociar ruinosamente contra o Estado, passar dos Governos para os Privados e dos Privados para os Governos a fim de garantidamente decidir em causa e ganância próprias. Num País desorganizado e armadilhado por sucessivos Governos, não há condições para governar, isto é, para fazer o que deve ser feito e proteger os cidadãos e contribuintes à cabeça de tudo. O Presidente da República transformou-se num manifesto problema, antepondo os interesses da própria reeleição para um 2.º mandato à observação nojosa e denúncia explícita de um ataque final à sustentabilidade do País por um Governo a todos os títulos criminoso. Cavaco tardou a agir. Um Povo bem informado, de olhos bem abertos, derrubaria o Governo socialista antes de perpetrar os 90 mil milhões de acréscimo de dívida pública em quatro anos, irrompendo, como por estes dias os espanhóis irrompem, pelas praças, escadarias e câmaras do Roubo Político ainda em decurso. Continuamos a ser explorados. No nosso colo cai um Memorando e, um ano depois, constatamos ter andado Passos Coelho a engonhar na questão abominável das PPP, nas fundações, institutos e outros lixos instituídos de furto silencioso aos Portugueses. Confiámos bovinamente na bondade dos sacrifícios sobre pessoas e empresas e confiámos que o armistício de uma responsabilização política e pessoal de José Sócrates só poderia ser um sinal de nobreza no combate político e não mais um capítulo de transigência, cumplicidade e inacção justiciária para com um trajecto negro, asqueroso contra Portugal. No meio disto, deste cenário de herança negra e amarelismo governativo, o PS está absolutamente morto e entalado. O PS, tal como o Pontifical Soares, não é carne nem peixe. É de Direita quando desgoverna, dado o seu problema de gula incomensurável que por três vezes atirou Portugal para uma delicada situação de incumprimento da dívida pública, ou então, na Oposição, assume um discurso de Esquerda Tonta, covarde, das duas maneiras traindo o interesse nacional, cegos de ambição pelo Poder, viciados em toda a sorte de Negócios Ruinosos de Regime, tacticistas rançosos, reles oportunistas, medíocres nas ideias, incapazes de construtividade. O Regime é corrupto. Os partidos são corruptos. Enquanto a pequena corrupção desaparece, a Grande Corrupção medra, tomando o PS a dianteira nessa imagem, nessa fama e nesse proveito: o PS já não é socialista em sentido absolutamente nenhum a não ser para os ingénuos e petrificados no idealismo dos anos setenta, cegos de paixão clubística por uma facção afinal hábil a ratar. À vista do PS, perante uma palavra do PS, um aceno de retórica trágica do PS, sempre pomposo e desmemoriado, os credores fogem horrorizados, sabendo os danos grosseiros que esta gente causou às contas públicas. Quando este PS fala em menos austeridade, o postulado soa tão desencarnado e irrealista quanto a sanha excessiva de saque e esmagamento que Merkel e Passos perpetraram sobre nós com os resultados pífios que se conhecem. A sanita da História registará a má fé merdífera do PS no desenho do Memorando que um seu Governo minoritário negociou a contragosto, após sorver o dinheiro que sorveu. Depois de emporcalhar a política e o espaço público desde 2005, Sócrates, um pigmeu de merda, muito dado ao bródio, a quem a manápula da Justiça tarda em espancar, foi para a vida em Paris. Caso de polícia repleto de dolo, vive em grande. Veio Passos, correcto e contido, converter-se noutro pigmeu banal, dogmático, divorciado das gentes, coisa de que Portugal não precisa. Quem nos libertará do socialismo negreiro e explorador das pessoas a contento somente das elites políticas e dos empórios da banca e outros rendeiros?! Por que continua a haver socialistas tão escandalosamente fora da cela como Dias Loureiro laureia a pevide e Oliveira e Costa descansa em casa?! Haverá coisa mais corrupta que este Regime do Rendimento Social de Inserção sem critério, como um veneno desmobilizador, e de outros Rendimentos Perpétuos a escandalosas taxas de vómito em benefício dos mesmos, sempre blindadas e sempre inegociáveis?! Como tolerar que a Merda Total da TSU, que um Borges ou outro camelo qualquer sussurrou a Passos, possa ter sido sequer cogitada por este Governo de Emergência?! Por que se oprime e persegue o trabalhador e se evita atacar os privilégios instalados, as rendas abusivas, a despesa infrene?! Como é que a execução do Orçamento de 2012 falhou tão clamorosamente?! Como pôde o Governo Passos, com a tontaria da TSU, perder as gentes já comidas, já traídas, já usadas, já chuladas com as campanhas populistas e intrujonas de Sócrates contra Portugal?! Os partidos em geral e o PS em particular reduziram a sua história de defesa do socialismo e da social-democracia a merda devorista, comprometendo um Regime só democrático para quem negoceia e ganha monopolisticamente o meu sangue e o do resto dos portugueses nas PPP Rodoviárias, Lusopontes, PPP da Saúde, preços esclavagistas e insultuosos da EDP. Por que motivo o PS não vota em conjunto com os demais partidos pela libertação dos garrotes monopolistas, gás, energia, combustíveis, IVA, que nos foram postos?! Por que não execra explicitamente o passado recente do partido, os crimes e abusos impensáveis de Sócrates, a sua bancarrota, a sua obra de endividamento risonho, optimista e brutal desde 2005, obra cujas consequências milhões de portugueses hoje amargam?! Não há insulto nem ofensa suficientes ao mau carácter e à desonra de ex-governantes e dirigentes estigmatizados pelo veneno de decidir sistematicamente contra os Portugueses e contra o Estado, permanecendo impunes apesar de tudo o que de negativo se decidiu recentemente, mas do Governo Passos esperávamos tudo, menos que fosse pigmeu. Mais um pigmeu na longa lista desastrosa de pigmeus que com falinhas mansas se fazem eleitos pelo Povo, e logo se esquecem dele, o castigam e fustigam e flagelam, deixando para o fim renegociar pouco, e muito a medo, quanto de mais ruinoso se perpetrou contra Portugal. Já agora, que tal um chuto no cu do Tecno-Borges ou de quem congeminou a TSU?!

2 comentários:

Anónimo disse...

Não adianta continuar a desancar no poder escurraçado em 2011, porque se esse poder continua na impunidade é o governo actual o responsável. Este governo tem pautado a sua actuação pelo branqueamento e encubrimento do anterior.Como V. Exe.vê os privilégios dos poderosos estão intactos. Houve para aí umas manifestações que não foram para exigir do Governo o fim das PPPs, fundações, institutos, observadores, cartões, carros telefones, et., etc. O que o Senhor viu e ouviu foi "troika fora de Portugal, governo para a rua"e insultos ao Senhor Primeiro Ministro.E em eventos similares futuros vai ouvir e ver a mesma coisa!Os serventuários do poder nos "media" já foram instruidos para distrairem as massas com coisas laterais tais como se vai subir o IRS ou o IVA ou se vão cortar um salário etc. , mas sempre coisas que afectam somente os pobres, para que estes esqueçam que é preciso acabar com os cancros enumerados anteriormente.O Senhor não vê nenhum partido parlamentar exigir isso; muito menos , como fiscalizadores dos actos do governo, pedirem relatórios exaustivos das PPPs. Dizem que há clausulas secretas! Mas então ninguém quer saber delas? Este Governo tenta resolver os problemas do País à custa dos pobres para deixar intactos os privilégios dos poderosos. Tem medo de toda essa gente; até do soares tem medo.

Anónimo disse...

Onde está "encubrimento" deveria estar "encobrimento"; peço desculpa pela gralha.