quarta-feira, setembro 05, 2012

UMA ASSERTIVA E RESOLUTA SIBILA

Há dois tipos de espécimenes previsíveis no panorama nacional da política e do jornalismo-opinião. Os que actuam à Direita e escrevem à Direita, quando exercem o Poder. E os que escrevem e discursam à Esquerda, uma vez alijados dele. Num caso e noutro, são sensíveis ao dinheiro que lhes pagam, venha ele de Paris ou dos interesses que se cevaram a dar nacos de renda à Banca-BES amiga e aos interesses estabelecidos PPP sempre a abrir. Depois há canas agitadas pelo vento: a sibila retroactiva Daniel Oliveira já usou, por omissão, de extrema benevolência para com o nome e o desastre do grande exilado milionário da política em pleno fracasso do respectivo optimismo insolente, mas sempre vai sendo capaz de corrigir o tiro omisso pelo obus da sincera convicção. Por isso não erra ao incluir o PS nos promotores e negociadores do Memorando, pelo qual o Governo socialista todo se isolou, num casulo de fantasia negacionista, e todo se esmerou por todas as formas de incompetência, politização eleitoral dos recursos públicos, gastos opulentos e compromissos de País próspero em plena pré-falência e ventos de miséria. Pertence a Daniel Oliveira a afirmação politológica digna de crédito de que Sócrates foi o pior Primeiro-Ministro de sempre. Foi quase perfeito na trapaça e nas manobras de diversão, dilação, perante uma Opinião Pública primária, ignorante e desinformada.

Sem comentários: