segunda-feira, maio 20, 2013

ABREU AMORIM E OS PANELEIROS SOCIAIS

Os paneleiros sociais são assustadiços. Assustam-se. Escandalizam-se por tudo e por nada. Não vêem vampiros nem fantasmas, mas persignam-se por tudo e por nada. Alguém diz «Direita», eles dizem «Mata». Alguém diz «Baixar o défice», eles respondem «Meter dinheiro na economia». Os paneleiros sociais estão sempre à espera de se ofender com qualquer merdita: se a frase for religiosa e Nossa Senhora de facto tiver desenguiçado um enguiço de Troyka à conta das particularidades de Portas, os sócrates dizem que «não é bonito»; se a frase for futebolístico-desportiva, por exemplo, dragões a festejar um campeonato, os morcões mais susceptíveis e melindrosos do benfiquismo e da parvónia vêm ficar expressamente ofendidos. Ninguém pode escandalizar um muçulmano com uma tirada cómica e ácida ao profeta sem incorrer em blasfémia ou ser lido como blasfemo? Pois ninguém, nem um frontal candidato à Câmara Municipal de Gaia, pode, em Portugal, brincar com os sport-lisboa-e-benfiquistas nem fazer frases de espírito: magrebinos passou a ofender. Para não ofender, o Carlos teria de continuar com a conversa dos «mouros» e deixar de inovar e surpreender na poética do chiste. Não se pode dizer nada, nem se pode fazer piadas com nada. Vêm logo os paneleiros sociais, os maricas habituais, muito correctos e virginais, muito melindrosos e cu-tremidos, a queixar-se que dói. Espelunca de País!

10 comentários:

mary disse...

Creio que se a referencia aos magrebinos fosse substituida por judeus, o senhor faria parte desses que apelida de cus tremidos. ou não?

Joaquim Carlos disse...

Isso não faria sentido. Ninguém perceberia. Cus-de-Judas ofende, por ventura, todas as terras não servidas por autoestradas e difíceis de achar?!

Parece-me que não. A raiva aqui é outra.

Anónimo disse...

Tem razão quando diz: espelunca de país. Só assim se explica que se dê credito a merdosos como você e o sujeitinho que tem um tacho partidário conseguido sabe-se lá como, e pago por todos nós para andar a propalar imbecilidades impróprias de quem tem a posição que tem.

Anónimo disse...

Toda essa indignação, penso eu, não tem a ver com clubismos, mas antes vem da idiotice e boçalidade revelada pelos comentários dessa pessoa que, convenhamos, ficam muito mal a alguém que ocupa tão alto cargo num dos maiores partidos deste país ... e as pessoas já estão fartas de políticos gordos, sebosos, mafiosos e idiotas a encher o cu com o dinheiro do nosso trabalho e, ainda por cima, arrotar postas de pescada ... se não sabe ter a postura devida para esse cargo, demita-se, e vá criar porcos ... por mim, não quero ser representado por este tipo de pessoas.

Anónimo disse...

Antes Magrebino que parasita! Paneleiro é quem logo virou o cú ás balas!

DEUS disse...

A tua mãe é uma puta. Tu és um corno. O teu pai outro corno é. Aliás toda a tua familia nasceu do cú, o parto foi cagar o aborto pra fora.

Paneleiro de merda. Não te preocupes que vou sacar o teu dox.

João Serra disse...

Subscrevo inteiramente. Continuo a achar que é fogo de palha, está tudo extremado pela sensibilidade da situação que infelizmente vivemos, mas isso não é motivo para misturar as coisas sérias com o futebol, seja ele politico ou outra coisa qualquer. Magrebino, mouro, morcão... bah... aos no norte também brindamos com epitetos destes e compreende-se o contexto. Já seria diferente se fosse num discurso oficial. Agora no futebolês? Convenhamos...

Anónimo disse...

E é você professor. Curioso que quem use o termo paneleiro de forma insultosa seja o mesmo que publica o post "O Luxo". O que não faz por exposição. Gostava de saber como a figura paternal que aparece na foto quando se passa o rato nome, explica aos filhos o vício da pura maldicência. Nem sequer é triste; é simplesmente estúpido!

I. B. disse...

Desculpe-me a franqueza, mas V., quando o assunto é o seu clube, perde toda a compostura e bom-senso.

osbandalhos disse...

Ninguém tem de se sentir ofendido. A frase apenas mostra ele a chamar-se estúpido a si próprio. E se ele não se chateia, porque se há de chatear mais alguém?