domingo, maio 13, 2012

ABRACADABRA, O PENSAMENTO DESIDERATIVO DE SEGURO

Entre ficar chocado e lançar desafios ao orador desastrado Passos, Seguro faz alguns intervalos para dançar ritualisticamente à chuva e para uivar à lua. Quid et quid enim? Para dobrar a realidade. Ei-lo, no seu melhor, a dedicar-se àquilo a que decido chamar pensamento desiderativo: crescimento e emprego. Emprego e crescimento. Crescimento e emprego. Emprego e crescimento. Crescimento e emprego. Emprego e crescimento. Crescimento e emprego. Emprego e crescimento. Crescimento e emprego. Emprego e crescimento. Crescimento e emprego.Emprego e crescimento. Crescimento e emprego. Emprego e crescimento. Crescimento e emprego.Emprego e crescimento. Crescimento e emprego. Emprego e crescimento. Crescimento e emprego. Emprego e crescimento. Crescimento e emprego.Emprego e crescimento. Crescimento e emprego. Emprego e crescimento. Crescimento e emprego. Pausa para beber leite. Nova carga de pensamento desiderativo: A austeridade não é solução. É preciso apostar no crescimento e no emprego. A austeridade não é solução. É preciso apostar no crescimento e no emprego. A austeridade não é solução. É preciso apostar no crescimento e no emprego. A austeridade não é solução. É preciso apostar no crescimento e no emprego. A austeridade não é solução. É preciso apostar no crescimento e no emprego. A austeridade não é solução. É preciso apostar no crescimento e no emprego.

Sem comentários: