domingo, maio 06, 2012

O ADEUS AO GNOMO SARKO

Sarko parecia inevitável no cargo apenas porque Hollande não irradiava senão um halo de vulgaridade que chegava a ser atroz, talvez apenas desmentido pela recente destreza argumentária face a face com o complexado gnomo dos tacões compensatórios. Em boa verdade, talvez assistamos à remoção de mais um daqueles políticos de navegação à vista, palavra volúvel, e inadmissíveis vícios de poder: depois de Berlusconi e do filho da puta de Parisi, pode ter chegado a hora de Sarkozy.

1 comentário:

Donatien disse...

Indeed.Este é que é o rei dos gnomos.