segunda-feira, outubro 22, 2012

FISCALIZAR PREVIAMENTE O INCÊNDIO

Agulheta de combate a incêndio.
Tropeçando nas suas próprias palavras e na agudeza do próprio raciocínio que aliás o ofusca, nem Marcelo parece prever que, antes de qualquer outra coisa e outro efeito, a fiscalização-compaginação do OE2013 com o dinossauro constitucional será um desperdício de tempo e mais um prego certeiro nas nossas hipóteses, garantia quase certa das nossas exéquias. Durante um incêndio, apaga-se o fogo. Não se fiscaliza o estado das agulhetas.

1 comentário:

Luís Costa disse...

E se suspeitarmos que das agulhetas, em vez de água, sairá gasolina?
Vamos lá a ver se quando o fogo for apagado o que sobra não é mais do que um conjunto de cadáveres carbonizados…