sexta-feira, outubro 19, 2012

O HABITUAL COMPORTAMENTO DE PUTA PUDICA

«"É, porventura, o Orçamento do estado mais difícil dos últimos anos, mas que não haja dúvida que é a factura do passado. É a factura da festa da governação socialista”, acusou o governante durante o debate que tem na agenda uma interpelação do PCP ao Governo sobre "Política Alternativa". Álvaro Santos Pereira enumerou depois as Parcerias Público-Privadas, as rendas excessivas na energia, o QREN e a “festa da Parque Escolar”. O ministro da Economia criticou igualmente inaugurações de estradas, auto-estradas, barragens inúmeros “contratos milionários e projectos faraónicos” celebrados pelo PS. E concluiu, afirmando que “é tempo de largar a pá e parar de cavar”. "É isso que estamos a fazer com grandes sacrifícios e sem pretensões eleitoralistas", disse o ministro. A intervenção de Álvaro Santos Pereira provocou grande agitação na bancada do PS. Mas pôs de pé as bancadas da maioria PSD/CDS num forte aplauso em uníssono." A bancada do PS com o seu habitual comportamento de puta pudica ficou agitado. Os responsáveis pelo maior desastre económico do país ficaram agitados. Alguns deles deveriam ser trancados num prisão funda sem poder ver a luz do sol durante anos pelo mal que causaram a todo um povo. Não reconhecer e não falar do papel criminoso do PS e dos seus sequazes é esquecer uma importante lição para o futuro. É tentar ocultar a verdade de um povo entorpecido, triste e sem esperança. É bom que as pessoas ouçam aquilo que é a realidade dos números e porque é que ela é como é. Uma dívida externa assim e um deficit louco (mesmo sem contar com a desorçamentação) é responsabilidade de alguém. Não aconteceu por acaso. Aconteceu por corrupção, por conluio com empresas que viveram da mama estatal durante anos e se preparam para viver uns quantos anos mais. Alguém que o diga. Tenho pena que seja Santos Pereira porque gosto dele. Sei que o faz porque não tem pretensões políticas ao contrário de outros ministros mais políticos. Mas quem o devia fazer era o 1.º ministro ainda que reconheça que isso não muda a dura realidade. Quanto às escumalha do PS pouco há a dizer. É apenas escumalha. E como qualquer ladrão apanhado em flagrante não aceita que roubou e destruiu um país pela sua incompetência e ganância.» Groink

1 comentário:

Grego disse...

Este cavalheiro apenas se esqueceu de mencionar que redigiu o texto em cima de um espelho, numa sala do Júlio de Matos!