quarta-feira, outubro 10, 2012

BRASIL: MENSALÃO CONDENA TRÊS

E poupa um. Lula. Foram três os que foram condenados, na Terça-feira, por corrupção pelo Supremo Tribunal Federal do Brasil no caso "Mensalão". José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares foram julgados, com mais sete acusados, por causa do desvio de fundos públicos para comprar apoio político no Congresso. Eram homens unha com carne do ex-Presidente Lula da Silva. O socialismo, isto é, toda a forma de apropriação da riqueza para distribui-la pelos membros do gangue e perpetuar-se no poder [Dirceu tinha um projecto totalitário de partido único embrulhado numa capa falsa de democrata] sob o biombo e a protecção que derivam da política tem sido uma tentação tão forte que resulta em esquemas dessa natureza ou de outra: a Europa do Sul confronta-se com o mesmo problema com efeitos terríveis na vida das pessoas comuns em Portugal e Grécia, por enquanto. Dinheiro é poder. Quanto mais dinheiro, mais poder e mais corrupção. Ou por extorsão indigna, via impostos, ou por extorsão directa mediante um circuito bem oleado e funcional nos interstícios da Aristocracia Político-Económica, o cheiro é quase o mesmo. Uma vergonha. A corrupção mata! Mata-nos.

2 comentários:

Anónimo disse...

Sete anos após a eclosão do maior escândalo da política nacional, o ex-todo-poderoso ministro da Casa Civil José Dirceu, braço direito de Lula e grande mentor de um projeto estalinista de tomada do Estado por um partido – o seu, o PT –, é condenado pela mais alta corte de Justiça do país, mesmo antes do voto de todos os 10 ministros em atividade, pelo crime de corrupção ativa — por comprar apoio ao governo Lula com dinheiro sujo.

O mesmo destino tiveram, por votação mais ampla, o ex-presidente do PT José Genoino e o ex-tesoureiro do partido Delúbio Soares.

A condenação, ainda que por ela eventualmente — repito, eventualmente — Dirceu não vá cumprir pena de cadeia (há que aguardar o julgamento dos outros crimes de que ainda é acusado no processo e a atribuição de penas pelos ministros), encerra, de forma peremptória e dramática, a carreira política do ambicioso ex-líder estudantil, ex-exilado, ex-clandestino, ex-candidato ao governo de São Paulo, ex-deputado e ex-ministro que, não fora a eclosão do escândalo do mensalão, em 2005, seria o delfim de Lula, o homem que muito provavelmente estaria, hoje, ocupando o Palácio do Planalto.

A condenação pelo Supremo faz justiça ao grande executor do esquema corrupto e livra a vida política do país, até onde a vista alcança, da atividade deletéria de um pretenso defensor da democracia que sempre abrigou um projeto totalitário.

lidiasantos almeida sousa disse...

E numa altura destas em que o Relvas precisa de tanto apoio daquele que o chama do maior Lobbysta de Portugal, o Juiz podia esperar um bocadinho e condenar o amigo Dirceu daqui a 3 meses. Lá vai a reserva no Hotel da Lapa ao ar.