quinta-feira, fevereiro 09, 2012

DO ABAIXAMENTO POLÍTICO EM PASSOS DE JOELHOS

Compreendo mal as fúrias que se levantam contra Passos Coelho: diga lá o que disser, a tendência é extrapolar-lhe os sentidos e acender raivas que não vimos contra quem nos fez a cova. Este homem é decente e também não nos poupa, mas por favor nunca esqueçam os pregos cangalheiros que Sócrates pregou para fazer perfeito o Caixão Nacional. Nunca se desceu tão baixo senão com Sócrates. Sair do estigma e da colagem ao que tem sido um primeiro-péssimo-ministro levará décadas. Se, por um lado, é uma evidência que os políticos não são pagos em consonância com as altíssimas responsabilidades que assumem, a verdade é que o cidadão, traído e enganado por eles, não tem por que nem por onde sensibilizar-se com esse problema. Nem agora. Nem jamais. Nós, os precários, os a recibos verdes [crime que perdura obsceno e desmoralizador] estamo-nos a cagar para o que não ganham e deveriam ganhar os políticos. E agradecemos que Passos nos faça o favor de se não ajoelhar em nosso nome diante seja de que credor ou potência for. Os alemães parecem estar já a afiar as facas com que nos equipararão à Grécia se lhes der jeito.

3 comentários:

Daniel Santos disse...

nunca te imaginei a aplaudir alguém que diz uma coisa dessas.

André Miguel disse...

Toda a gente já esqueceu de como Sócrates era piegas com as criticas alheias. Um "mariquinhas" de primeira apanha que a qualquer critica montava uma birra tal que só lhe faltava chorar agarrado às saias da mãe, qual puto de 6 anos. O calimero-mor, alvo de todas as cabalas possíveis e imaginárias...

Tiago Mouta disse...

Brilhante!