quinta-feira, fevereiro 09, 2012

NA MOSCA

«É no entanto necessário dizer a Martin Schulz e a todos os amigos alemães, a senhora Merkel incluída, que esse risco é consequência das desastrosas políticas europeias que têm sido determinadas pelo Governo alemão, que empurra Portugal e outros Estados-membros para recursos exteriores à União Europeia (UE), onde interesses contrários aos da UE podem de facto fazer perigar as possibilidades de progresso desses países e do próprio projecto europeu.» Ana Gomes

4 comentários:

floribundus disse...

os 'boches' também tiveram colónias quando retalharam África em Berlim

Anónimo disse...

Não será uma visão maniqueísta assumir que só os investimentos da UE em Portugal ,e em particular os da Alemanha ,é que podem trazer bons augúrios a Portugal ? Quando andamos uma década a "viver à conta dos mercados neo-liberais" alguém se interessou em saber donde provinha o dinheiro ? Será caso para concluir que o dinheiro é dualista - quando emprestado não interessa a origem ; quando é consequência de algum investimento em Portugal traz consigo a carga de origem - exploração ,ditadura ,maus costumes ,etc.

joshua disse...

Nem mais, anónimo 7:53PM.

André Miguel disse...

Na mosca, pois, mas não necessariamente mau.
Ainda bem que a Alemanha sente que Portugal consegue alternativas e não anda de mão estendida apenas a quem lhe tirou o tapete debaixo dos pés.
Ou sentirão os alemães que estamos a morder a mão que nos deu de comer, a crédito, durante tanto anos? Afinal vamos ter que pagar a conta e convêm não pedir mais a quem nos apresentou a factura. Para bem de devedores e credores.