quarta-feira, fevereiro 22, 2012

INSACIÁVEL E MALCHEIRENTA MALFEITORIA

Todos foram tratados como palhaços,
menos os amigos.
O bando de energúmenos que compunha o núcleo duro do socratismo não está na prisão. Mas devia estar ou, melhor, porque era composto por quanto lixo a vida política pariu, deveria ser castigado exemplarmente e que o menor dos castigos fosse a prisa. O escândalo de termos sido apascentados por semelhante corja revolta as entranhas. Há uma nova escandaleira que deverá ser esclarecida e bem esclarecida pelo DIAP, se tiver colhões para isso. Pelo Correio da Manhã de hoje inteiramo-nos de adicionais comportamentos abjectos do mariolas Sócrates. Ficámos a saber que Ministros e outros governantes de José Sócrates tinham um cartão de crédito adivinhem pago por quem. Por nós. Funcionava como "suplemento remuneratório", tal como o tribunal de Contas o classificou. Tal suplemento inflava a remuneração efectiva de cada ministro contemplado para lá dos 10 mil euros por mês. Como muito bem se explica aqui e aqui, a situação é de crime continuado e a moldura da prevaricação está tipificada nos artº 375º e 386º n.º 4 do Código Penal. É só fazer as contas. Adenda: Entretanto, cúmulo da ironia, é o actual Governo a paralisar e tornar-se óbice ao bom esclarecimento daqueles desmandos. Porquê? Toda a gente gostaria de compreender por que motivo se obstaculiza a verdade. O cabal esclarecimento dos desmandos da socratinitude não deveria ser negociável, estando no cepo o pescoço de milhões de portugueses.

3 comentários:

António Balbino Caldeira disse...

Caro Amigo

O problema ainda parece mais grave...

Anónimo disse...

Com a conivência e a passividade deste governo, torna-se gravíssimo.

Anónimo disse...

E ainda nomearam um ex-sec (com a foto no correio da manhã) director-geral!
Brilhante!