sábado, fevereiro 25, 2012

A HISTERIA ESTÉRIL DO PROTESTO

Houve um tempo, no tempo em que o socratismo seguia impante na grande fraude desgovernativa, em que eu esperava do PCP ambição de poder partilhado, capacidade de construção, sentido de alerta. O PC não quer partilhar coisa nenhuma. Só a histeria estéril do protesto. Hoje é preciso que se sublinhe isto: desde há pelo menos trinta anos que o PC está velho. Era preciso renovar todas as coisas, todas as estruturas, inovar o discurso, ter um papel claro a dinamizar a sociedade de um modo realista e actualizado. Nada. Temos um fóssil ao megafone chamado Arménio, a espingardar, metralhando chavões à velocidade da luz. Temos Jerónimo a dizer o mesmo variando somente os recursos de estilo, mas sempre com aquela ironia e sentido de humor que repassam comparações e metáforas. Temos greves gerais e tiros no pé. Demagogia e pobreza de espírito. O PS, no meio disto, é um farrapo refém dos seus vícios e da casta minorca de pigmeus que o socratismo deixou para trás.

1 comentário:

fdloribundus disse...

sondaghem da UC
62% de descontentes com o governo
72% consideram não haver alternativa