segunda-feira, fevereiro 06, 2012

O ÁLIBI HABITUAL

O álibi da crise das dívidas soberanas cai que nem ginjas no argumentário safardana dos socratistas, mas o certo é que foi graças a Sócrates que por cá a coisa escalou para níveis nunca vistos, coisa que custará imenso a estancar: Portugal surge como o terceiro país mais endividado, com uma dívida pública a atingir os 110,1% do PIB. Só a Grécia (159,1%) e a Itália (119,6%) superam a dívida nacional. A Estónia é o país que apresenta uma dívida mais baixa (6,1%), seguido pela Bulgária (15%) e pelo Luxemburgo (18,5%). Não é à toa que mesmo o amiguinho Figo se desiludiu rotundamente pelo facto de o Primadonna ter despendido muito além do que seria avisado. «Digam o que disserem, mas ainda está para nascer um primeiro-ministro que tenha feito melhor que eu no défice.» E na dívida pública.

Sem comentários: