terça-feira, junho 18, 2013

CORRUPÇÃO ENOJA RUAS

Cansaço cívico por causa da corrupção e meios de convergência das massas como o mundo nunca viu resultam em manifestações explosivas, mesmo num País ufano pelo seu sucesso económico recente, basta pensar que o Brasil produz tudo, correndo o risco, e isso é outro problema, de não ter a quem vender o que produz fora do seu fortíssimo mercado interno. Na Turquia, um movimento implacável contra a brutalidade de um Governo tentado à islamização dos costumes e à decisão lobista de fazer um centro comercial lá, num parque de nome Gezi que as populações adoram. É aqui que o dinheiro dos fortes, que o Poder político-económico, por mais que forceje avançar, não pode terraplanar as gentes fatigadas e os seus sonhos. Dilma pode ter nas mãos uma rebelião a progredir como o fogo num barril de pólvora: bastou o aumento da tarifa do transporte público para 20 Reais para a rejeição em pacote do sistema político brasileiro, onde tudo está em causa porque tudo é desigualdade, tudo é corrupção, logo com o Partido dos Trabalhadores de Dilma a simbolizar o que há de mais doloso e ruinoso no que ao prestígio da classe política diz respeito, comportamentos, factos e factóides que replicam os efeitos nas contas públicas e na sociedade de um PASOK grego e de um PS português, uma certa Esquerda que perde o pudor, uma certa Esquerda absolutista, ávida de autoperpetuação, que se deslumbra e aburguesa mal se vê no Poder e esse Poder se prolonga nos anos, traindo todas as expectativas das pessoas e atraiçoando toda a confiança que suscitara aos eleitorados. Solidários e sensíveis, os brasileiros perderam as ilusões. O Brasil do crescimento anual do PIB não o seu Brasil de baixos rendimentos com um oceano de miseráveis e excluídos em torno, não é o seu Brasil a mentalidade vigente de pequenos e médios investidores é enriquecer o mais rápido possível e para isso explorar exaustivamente a mão de obra e pressionar os preços. Seria fácil tolerar as marés da economia, o progresso e o crescimento, a austeridade e a inflação, caso a corrupção não desfilasse tão impudica no País do Mundial 2014.

Sem comentários: