quinta-feira, junho 20, 2013

TEMPO É DINHEIRO

Enquanto se não pagam subsídios disto e daquilo ou se dão erros de processamento no seu pagamento ou se fazem greves com putativa privação parcial dos vencimentos de grevistas, segundo o consagrado na Lei, alguns trocos vão ficando do lado de um Estado pré-falido desde 2011 e que há que salvar para que todos nos salvemos. Ainda não vi nenhuma greve ou movimento no sentido de salvar o Estado Português, fazendo urgentemente cada qual o melhor que sabe e pode. Desconversar e politicar, sim, vê-se a pacotes. Talvez a próxima Greve Geral ajude Portugal a descer mais um degrau no risco de um segundo resgate e na baixa da já baixa produtividade. A descer todos os santos de Esquerda ajudam. A descer é que a gente se entende.

Sem comentários: