sábado, junho 29, 2013

SÓ COMO UM CADÁVER


como um cadáver velado
a contragosto,
nenhum abraço apertado.
Só, todos mortos por que tudo acabe pronto.
Só. Na sensibilidade. Só.
Só. Neste caminho de clausura.

1 comentário:

Floribundus disse...

escrevi isto há 65 anos durante a minha 1ª grave doença por erro médico. 4 no total
'em cada dia que passa
há uma folha que cai
no calendário da minha vida

e ainda é primavera'