sexta-feira, junho 21, 2013

POIARES MADURO E O EURO INDOLOR

Quando Poiares Maduro fala, o País tem oportunidade de Aprender alguma coisa, enfrentando o espelho de que foge. Um olhar atento à vaia atómica, bloco-engenhosa, à contestação, ao conspiracionismo azedo do dr. Soares, ao mal-fodidismo anti-Passos do dr. Pacheco e do dr. Capucho, do dr. Bagão e da dra. Manuela, por exemplo, para não falar na grande Caramunha de Esquerda dos zorrinhos e dos seguros, permite-nos concluir que toda esta gente quer um Euro indolor e quer basicamente Fazer de Conta que tudo pode continuar como se arrastou até aqui. Não pode. Mudar é urgente. Nada mais petrificado e avesso à mudança, à reindustrialização, à libertação da economia, à responsabilização individual, que os instalados no privilégio e na dependência, em contraciclo com a nossa miséria, o nosso desemprego, as nossas dificuldades, a nossa fome. Não me lembro, aliás, que tenha havido uma mega-manifestação só com desempregados. O protesto, na verdade, é muito selectivo e imensamente privilegiado.

1 comentário:

Anónimo disse...

Completamenet de acordp. E por se tratar de um discurso que pretende estimular a reflexão e a disciplina e a responsabilidade, faz a esquerda bacocamente acenar com o papão das liberdades.