quinta-feira, junho 27, 2013

TAPETE DOS SANTOS

O feixe intrincado de lealdades e silêncios a que Teixeira dos Santos está obrigado pela omertà socialista-socratista impede-o de assumir o que foi enquanto Ministro das Finanças: um tapete. No Tapete dos Santos, Sócrates limpava os pés, assinava PPP ruinosas, atirava-se ao dinheiro com que o Estado ainda se financiava como gato a bofe, cavava dívida porque Barroso disse que se atirasse da ponte. Tapete dos Santos foi o último Ministro das Finanças a politizar as finanças públicas no sentido da demagogia da baixa do IVA, no sentido do espectáculo de circo do aumento aos funcionários públicos, no sentido do populismo pré-eleitoral em que se omitia, em 2009, a derrapagem geral das contas públicas. Governo que leva um País à falência deveria prestar infinitamente mais esclarecimentos e não vir com um ar santolas e virginal para mais uma entrevista-monólogo.

Sem comentários: