sexta-feira, junho 28, 2013

PENSAMENTO PECHISBEQUE DE DEUSDADO

Admiro, gosto imenso do Daniel Deusdado que reflecte sobre o meu Norte-Região, pensa criticamente o meu País, acusa a corrupção enraizada no Regime. Mas há coisas que escreve sobre o Governo Passos que me deixam triste apenas porque traduzem a mortífera e estéril lógica parcial da desconformidade perpétua, patente na História d'O Velho, o Burro e o Menino, como é o caso desta opinião. 1. Deusdado veicula por demais a fome, a pressa e a sofreguidão do pessoal do BE, do PCP e de algum PS por mudar de Governo na secretaria da Presidência da República como se isso mudasse a Europa que nos calhou e o FMI que nos tutela [Deusdado discorda que o menino vá em cima do burro e o velho vá a pé]. 2. Ao contrário do que Deusdado ajuíza, Cavaco faz muito bem em paralisar os ímpetos viscerais e impacientes da rua e da rua que convém aos mesmos do costume apenas democratas quando são eles a governar e golpistas quando são outros [Deusdado discorda que o velho vá em cima do burro e o menino vá a pé]. 3. O problema dos swap, quanto a mim, deveria ser resolvido e foi. Era um fogo a apagar e há demasiado. Ponto [Deusdado discorda que o velho vá a pé, tal como o burro e o menino]. 4. Finalmente, na decisão técnica de passar a aplicar a quase totalidade do Fundo de Estabilização da Segurança Social apenas em dívida portuguesa, creio que é um acto de autoconfiança da dupla Gaspar-Passos, uma aposta do Governo no próprio pescoço e no próprio trabalho: meter o dinheiro todo em dívida nacional significa levar muito a sério o cumprimento nacional da palavra dada aos credores que a Troyka representa, significa preferir o fio da navalha e apostar tudo no evitamento de um perdão de dívida com tudo de horrível que ele significaria, ainda que haja quem ache que não conseguimos sobreviver com 130% de dívida pública face ao PIB: também não podemos estar sempre a cair indefinidamente numa recessão sem fim, como é lógico, sendo que os sinais da melhoria geral da cobrança fiscal nos deveriam reforçar a certeza de uma incomparável eficiência [Deusdado discorda que o burro vá ao colo do velho e o menino a pé]. É uma pena que para a argumentação em manada de uma dada oposição com cio, Santana seja sempre horrível, Sócrates sempre sacana e Passos sempre incompetente, Deusdado! Santana estava a familiarizar-se no cargo. Sócrates estava a avacalhar-se no cargo. Passos tem uma espada sobre a cabeça e faz o caminho ao caminhar. Tenhamos a paciência dos gurus e a doçura dos Mandela, não um pensamento de pechisbeque, Daniel.

Sem comentários: