quarta-feira, junho 05, 2013

AGITAR, CONSPURCAR, INSTIGAR

Vivemos tempos incríveis em que a tentação imbecilizadora dos cidadãos está ao rubro. Um partido político assume as rédeas do País durante quase dezoito anos. Acaba por conduzir os cavalos nacionais à bancarrota, não fosse o pedido de resgate em 2011. Os portugueses confrontam-se com camadas e camadas de negócios ruinosos, dívidas e porcarias em que o Estado Português se meteu ao longo de anos, qual delas a mais danosa e comprometedora. Basicamente corrupção, corrupção e corrupção. Há um Governo eleito e uma coligação maioritária no Parlamento a tentar resolver os problemas, obedecendo às regras do Euro, gerando indiscutível credibilidade externa e fazendo um caminho duro de cumprimento. Depois, aparecem uns imorais instigadores do pior possível para o País passando aliás por cima da agenda dos partidos e tentando condicioná-la, declarando no seu escarro, tratar-se este de um Governo ilegítimo. Quem apanha? O Governo. Quem é punido? O Governo. Quem é insultado? O Governo. Nada como matar o médico e deixar a doença ir sossegada à sua vida. Mário Soares, que é uma coisa inenarrável no que à honestidade intelectual e política diz respeito, acha que as pessoas comuns estão dispostas a armar uma Praça Taksim em qualquer recanto. Pois está muito enganado.  No limite, um pobre fantoche esmurra a cara à polícia e fica a berrar inocência, apesar das imagens gritarem o oposto. A República Portuguesa só passa por imoral, corrupta e desmemoriada por causa de manobradores imorais como o milionário político Soares, fósseis deslumbrados com o tesão da rua como Arménio Carlos, bigodes temerários e aprendizes como o novo dirigente máximo da UGT, intelectuais conspirativos e raivosos como Pacheco. Só uma sociedade muito doente e emporcalhada por este e todos os tipos de corrupção poderá estar disposta a legar novamente a coisa pública às mesmas mãos que a devastaram em primeiro lugar. Sim, o Partido Socialista, até que reconheça as suas responsabilidades, não passa de uma agremiação de parvalhões. 

Sem comentários: