quarta-feira, junho 12, 2013

HÁ DINHEIRO, DIZ O PS

O PS já veio dizer que a manutenção dos cortes ao subsídio de férias é um mero ensaio a uma desobediência geral, por parte do Governo, ao Tribunal Constitucional. É possível. Não há ovos? Não pode haver omeletes. No entanto, custa-me que precisamente pela voz do vice-presidente da bancada socialista José Junqueiro o PS afirme que há dinheiro. Se há dinheiro, certamente não parece cobrir os buracos monumentais das swap nem os poços sem fundo colossais da dívida monstruosa cavada diligentemente pelo último Governo Sócrates. Por isso, se este Governo se prepara para não pagar os subsídios de férias aos funcionários públicos, temos pena, mas compreendemos. Talvez tudo fosse mais fácil e compreensível no momento em se investigassem a sério as offshores do PS, dos amigos e familiares do mega-charlatão, comentador desavergonhado dominical na RTP. É incrível como para o PS há sempre dinheiro. A começar pelo inefável dr. Soares até ao mais pequeno militante, o dinheiro é sempre possível. Vício. Forma de estar.

Sem comentários: