quarta-feira, junho 12, 2013

RETALIAR SEGUNDO O FÓSSIL ARMÉNIO

Não coloco de parte a possibilidade de o Governo usar a realidade pura e dura, nua e crua, a verdade pelintra das contas públicas, para não pagar. Se isso é retaliar não se percebe bem quem e o quê, Fóssil Arménio lá saberá. O que surge evidente é que não pagar o subsídio de férias aos funcionários públicos no final de Junho é simplesmente não pagar. Ponto. O direito ao pastel morre no momento em que não há dinheiro para pastéis. Quem não tem dinheiro para pastéis, não o tem para cigarros. Não haver dinheiro não é ter alguma coisa contra funcionários públicos e contra o sector empresarial do Estado, é simplesmente não ter dinheiro. Sabíamos que para o PS há sempre dinheiro, crescimento e emprego. Agora à CGTP também subjaz a ideia de que há sempre dinheiro e nada como uma revoluçãozinha para fazer borbotar dinheiro das fissuras da crise. Começo a convencer-me de que todo o dinheiro de que Portugal necessita nascerá espontaneamente da euforia com que a CGTP se entregar às arruadas grevistas e às palavras de ordem nas praças vazias da luta. 

Sem comentários: