segunda-feira, setembro 03, 2012

MÁRTIRES, GRANDES CAVALOS E CAVALGADURAS

Tudo visto e ponderado, no último domingo, durante uma corrida de touros na Torreira, Aveiro, não foi só o cavaleiro Marcelo Mendes em incursões de terror, duas, com o seu cavalo sobre um grupo de manifestantes que aliás ficou incólume. Não. Continuam também com ampla fome de martírio artificial, insultuosas e indignadas, mortas por se zangarem, as pessoas que apresentaram queixa contra o cavaleiro e levaram o assunto para as redes sociais, demasiado óbvio, não?!. Não há toiro a preservar de farpas que valha uma boca monstruosa dirigida ao cavaleiro em causa do tipo «...havias de ficar paralisado como o forcado de tal.» Pode haver, portanto, bestas a cavalo, mas não faltam cavalgaduras apeadas sobre as duas pernas, desumanizando e cobrindo de cínico a sua causa. Devem gostar de toiros como gostam de burros. Pelo facto de estes últimos já não serem necessários nem à agricultura nem a nada vão desaparecendo, o que é pior que servirem de carregadores. Mal ou bem, as toiradas garantem que ainda tenhamos esses bovinos prosperando em terras de Portugal. Não há crueldade pior que a crueldade do desaparecimento e da condenação a resíduo e relíquia. Toureiros, cavaleiros e forcados, na verdade, não amam menos esses animais que os mais recentes aderentes à bacoca e passional sanha anti-tourada.

4 comentários:

Anónimo disse...

como o amo! posso espetar-lhe um pau nas costas?

Anónimo disse...

O senhor é bastante lamentável.

Joao disse...

Então a parte importante que tira dessa estoria são os insultos verbais? E uma tentativa de agressão a cavalo é menor que insulto verbal? Sinceramente se for para mim perfiro o insulto verbal. Na realidade é algo a que quem comenta na internet leva com frequencia.

E já agora, acho que espetar bandarinhas nas costas como manifestação de afecto é capaz de não dar o efeito esperado. Acho... Eu por mim, dispenso.

Blackye disse...

ehehe com estes comentários, caro Joaquim, até dá vontade de uma pessoa se rir "posso espetar-lhe um pau nas costas?" ihihih
Enfim... concordo consigo, se bem que a atitude do cavaleiro é bastante triste, mais valia que tivesse deixado o bicho espetar um coice a cada um e o trabalho tinha ficado bem feito. Não aumentemos rancor, gente pequenina vai-se perdendo na história... continuem com os insultos e as pedradas, já que pela fala não são capazes de fazer nada (há-de os ir ler ao facebook que nem capacidade de raciocinar têm).
Lamentável é a evolução humana tem este tipo de espécimes... (mas, e pior: também os há a defender a posição oposta!)