quinta-feira, fevereiro 02, 2012

O JOGO PERDEDOR DO CAMARADA FÓSSIL ARMÉNIO

Parece evidente que a CGTP averbou hoje uma derrota monumental. Não sei se deram por isso. O fóssil Arménio está desfasado da Hora e o caminho escolhido não colhe porque não pode colher. A ladainha, essa segue a mesma: «luta pela defesa dos direitos dos trabalhadores» [matando a galinha dos ovos de ouro, assassinando a economia e a viabilidade básica das empresas] e «defesa do serviço publico». [isto é, desgraçar empresas desgraçadamente endividadas, pré-falidas]. Muito bem. Não há como inovar e descolar da retórica anacrónica das lutas-jurássico, ó camarada Fóssil Arménio?

2 comentários:

floribundus disse...

'entrou com o pé esquerdo'

Anónimo disse...

Arménio Carlos sucede raivosamente a Carvalho do Silva. Este já era por demais conhecido pela retórica inflamada e cega, velha de 25 anos, própria do vermelhismo obsoleto e mujique tão querido e cultivado pelo PCP. A "Inter" tem sido uma constante máquina de fazer recuar as mentalidades no tempo. Uma vez gasto e doutor, Carvalho da Silva sai para fazer o "tour faculdadeiro" das conferências patetas de cariz sociológico. Entra Arménio, desabituado dos ecrãs e dos microfones: vem desembestado, reactivo, parlapatoso, radical, agressivo, fanático, ensopado de doutrina marxista-leninista, comprometido até às hastes dos óculos com o granítico e sinistro Comité Central. Comparado com Carvalho da Silva, consegue parecer um primitivo na linguagem e na postura hirta. Julgo que "pior" não se aplica; apliquemos pois uma expressão errada e ignara, mas mais ilustrativa: Arménio é "mais mau".

Ass.: Besta Imunda