sábado, março 31, 2012

BB OU O ETERNO FLATO DE ESQUERDA

Escreve Baptista-Bastos que «O Partido Socialista teve, anteontem, na Assembleia da República, uma excelente ocasião para se redimir das evasivas políticas, das ambiguidades e dos desvios que têm caracterizado a sua trajectória.», mas é óbvio que não há redenção para tal partido e muito menos passaria ela por desconstruir, descontinuar e desunir o que a Troyka — UE, FMI e BCE  uniu e construiu.

Sem comentários: