segunda-feira, março 19, 2012

UMA ANTÍGONA PARA O POLINICES DE BEJA

Olhando o caso do triplo homicídio de Beja, não deixo de pensar na velha questão da desonra religiosa com que os antigos olhavam a não inumação dos cadáveres, por vezes o pior dos castigos, deixados aos cães e às aves de rapina. Relativamente a esse Polinices de Beja, lá surgiu uma alma caridosa como Antígona para dar enterro ao cadáver que já era cadáver quando ainda aparentava estar vivo.

1 comentário:

antigona2012 disse...

ponto 1
toda a gente tem direito a sepultura digna, contra tudo e contra todos, se for o caso, agora como então
ponto 2
Antigona não foi uma alma caridosa
ponto 3
isso de saber quem está morto em vida ou vice-versa teria muito que lhe dissesse