sábado, março 17, 2012

BE E PS AMIGUINHOS DO ELEFANTE NÍVEO

«Quando a Parque Escolar (PE) foi apresentada, propunha-se reabilitar as escolas investindo 2,82 milhões de euros por estabelecimento de ensino. Pouco depois, ao concretizar o plano, fez a estimativa de custos saltar para 8,0 milhões de euros. Hoje sabemos que foram gastos, em média, 13,29 milhões. Estes números deviam ser suficientes para se perceber que algo tinha corrido muito mal. Mas não: o PS socrático e uma mão-cheia de bloquistas têm aparecido nos últimos dias a defender o legado da PE e a continuação do seu modelo de gestão. Porquê? Porque, nas conclusões do relatório da Inspecção-Geral de Finanças (IGF), se diz que, apesar de todas as derrapagens, o desvio no custo médio por metro quadrado construído foi de apenas 3,1 por cento. O facto de a IGF desconfiar dos custos por metro quadrado – pois a PE contabiliza “a 100% as áreas cobertas não fechadas, como espaços desportivos abertos” – e de questionar a necessidade de ter realizado tantas obras novas – “as normas aplicadas prevêem espaços generosos que poderão levar à construção de escolas desnecessariamente grandes” –, a verdade é que isso parece não incomodar tanto a exministra Maria de Lurdes Rodrigues como o bloquista Miguel Portas, entre outros. Em nenhum momento parecem interrogar-se sobre o modelo que esteve por trás deste elefante branco (a PE gastou em 181 escolas o orçamento que tinha para 332, isto é, 2,4 mil milhões de euros). » José Manuel Fernandes, Público, 16, Março, 2012

2 comentários:

Miguel disse...

Deve ser por isso que Miguel Portas tem os filhos numa escola pública. Espera, que disparate, não...estão mesmo num colégio privado.

Anónimo disse...

Só são de "esquerda" para inglês ver e/ou quando lhes convém.
Onde param os milhões desviados? Alguém se anda a abotoar com eles e eu, pobre cidadão, e tantos como eu, não sabemos nem hoje, nem nunca, do seu paradeiro ... ou desconfiamos!