sábado, março 31, 2012

TRÊS CRETINOS

Estava agora mesmo a ter o azar de assistir a um plácido e pachorrento programa 'Avenida da Liberdade' na RTPInformação a três vozes, Carlos Amaral Dias, sempre a evocar o seu cínico Levítico, Daniel Proença de Carvalho, a braços com a prodigiosa separação do Advogado de Sócrates do comentadeiro politico e, enfim, o peneirento vocal Nuno Santos, pivot da coisa. De lugar-comum em lugar-comum, quando o tema passou a ser fatalmente o fantasma de Sócrates, o três convergiram nessa ideia peregrina de o Primadonna se ter transformado no injusto "bode expiatório" do Povo Português. Resumindo muito as ideias enviesadas dos três, a coisa vai mais ou menos assim: «Deixem o homem em paz na sua vida privada!» ou «A Opinião Pública é muito volátil e há lógicas de rebanho nas críticas injustas e ataques que lhe fazem!» Portanto, nós, cidadãos, somos horda, qualquer coisa de absolvente e serena. Eles, políticos desonestos e cretinos com o nosso dinheiro e sobretudo com o nosso futuro, não têm de prestar contas nem pagar pelos ilícitos praticados a frio. Podemos ter sido prejudicados e roubados por um ciclo político abominável, mas para o Nuno, o Daniel e o Carlos não houve crimes político-financeiros perpetrados; não houve excessos, perseguições ou bulliyng e toda a sorte de condicionamentos mediáticos abusivos; não houve abusos de poder; não ouve e há o problema escandalosamente óbvio de um enriquecimento ilícito absolutamente inexplicável e por explicar de uma clique, uma facção, um só homem deslavadamente em Paris; não houve a condução de Portugal à falência contraindo dívida criminosa e irresponsável ao longo de seis anos; não houve o abichar comissionista corrupto de luvas por cada negociata PPP grosseiramente lesiva do Interesse Geral e suculenta ao próprio bolso e ao dos amigos. Daniel, Carlos e Nuno, três gajos ricos, felizes. Peroram sorridentes a sua versão anestesista e conveniente à História Nacional recente. Três cretinos que nunca sentirão na pele quaisquer dos efeitos e quaisquer das consequências daquela crassa desonestidade política.

2 comentários:

floribundus disse...

disse alguém
'cada povo tem a merda que merece'

Anónimo disse...

Já floribundus só suporta quem quer.