sexta-feira, março 16, 2012

FRAUDES OPORTUNÍSTICAS, O PADRÃO PLAYBOY

É deplorável ter de confirmar todos os dias que, para a hierarquia de topo e intermédia socratista e talvez para a mais básica, qualquer coisa, mesmo nobre e urgente, transformava-se em oportunidade nova para potencial abichamento sorna dinheiro público, fritando-o, torrando-o ou convidando um qualquer David Copperfield  para o fazer desaparecer pelos parentes e amigos, se se levar o esquema PEP em devida conta. Ser perdulário com o dinheiro de todos só pode ser uma arte: de dois milhões de vacinas, que custaram 15 milhões de euros, foram administradas pouco mais de 700 mil. Pronto. Quem é que aqui untou as mãozinhas? Seis anos de ruína. Não faltaram novas oportunidades para arruinar o Erário e nem sequer é isto mero desperdício: é negócio negro, sujo. Tudo, mas mesmo tudo, foi uma nova oportunidade de trair os contribuintes, o que, com as PPP e outros casos equivalentes, estabelece um padrão Playboy, o grau zero da política dada a baixeza dos actores. 

Sem comentários: