sexta-feira, março 09, 2012

ENERGÚMENO E PLAYBOY

Nota-se que por muito que uns raros e obcecados bloggers, em bom e devido tempo, tivessem alertado e demonstrado o perfil nefasto de José Sócrates, ainda omnipresente porque o é a Crise e a Austeridade, só agora muitos portugueses vão conjugando o nosso risco de falência com os casos que, enquanto político [e fiquemo-nos por aqui porque é o que nos move e interessa] o incriminam e o esclarecem. Paga-se caro, muito caro, ter à frente de um País um político sem escrúpulos num cargo público, sem ética num cargo público, sem decência num cargo público, não só no jogo político como nas bastas manobras do jogo justiciário. Com todos os defeitos e insuficiências, Cavaco não é nem nunca foi um Berlusconi português. Já o Primadonna Rapace, que ainda laureia a pevide por Paris, superou todas as expectativas da malfeitoria e da viciação dos dados. A falta de lealdade institucional foi o menor dos problemas. Cavaco pode falar.

5 comentários:

Força Emergente disse...

Caro amigo
Estamos certamente incluidos naqueles que tudo fizeram para expor a máscara hedionda dessa personagem que se intitulou de "engº" socrates.
É bom que não se abrande a luta em torno da exposição sistemática deste autêntico excremento nacional.
Estamos mesmo a ponderar uma participação nossa mais activa no julgamento do caso Freeport. Por todas as razões e até porque também somos assistentes.

Anónimo disse...

A lavagem cerebral do actual governo resulta. E prova disso são muitos escritores talentosos como o autor deste blog escreverem as mais levianas e desesperadas bacoradas, como que à procura do ónus da prova de uma fantasmagoria.

Anónimo disse...

A lavagem cerebral do actual governo resulta. E prova disso são muitos escritores talentosos como o autor deste blog escreverem as mais levianas e desesperadas bacoradas, como que à procura do ónus da prova de uma fantasmagoria.

Vasco disse...

Quero elogiar o texto, que exprime quase por inteiro, o que penso das personagens lá referidas. Se há alguma coisa com que discordo é com brandura como adjectiva o "Eng." Sócrates.
Se me for permitido, quero também manifestar o meu apoio à "Força Emergente" na intenção de participar activamente no julgamento do caso Freeport com vistas a tentar pôr o Sácrates no banco dos réus.
Vasco

Anónimo disse...

Nem mais, Vasco! O que é ele a mais que os outros? A protecção de que desfruta é uma provocação.